Dossiê #02: Região Covid-19 de Palmeira das Missões ultrapassa 6 mil casos e 100 óbitos

Dossiê #02: Região Covid-19 de Palmeira das Missões ultrapassa 6 mil casos e 100 óbitos

A Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul coloca Palmeira das Missões em dois cenários de análises que correspondem à Macrorregião (Norte), que conta com 58 hospitais, 234 leitos de UTI, sendo destes 169 ocupados. Neste levantamento, hoje, temos 65 leitos disponíveis. Ainda sobre nossa Macrorregião, conforme os dados do Governo Estadual, temos 48 pacientes confirmados com Covid-19 nas UTIs.

O segundo cenário é feito pelo levantamento da Região Covid pelo Governo Estadual, em que Palmeira corresponde a R15 e R20 e conta com 21 hospitais e 35 leitos de UTI, estando 22 ocupados. Neste cenário, temos 13 leitos de UTI disponíveis para nossa Região Covid-19. As cidades que fazem parte desta região seguem abaixo com um comparativo do lançamento do Dossiê #01 no dia 18/06 e hoje 20/11.

  1. Palmeira das Missões – 112 casos e 04 óbitos / 1071 casos e 19 óbitos
  2. Iraí – 04 casos / 80 casos e 01 óbito
  3. Alpestre – 13 casos / 61 casos e 02 óbitos
  4. Caiçara – 0 casos / 121 casos e 03 óbitos
  5. Palmitinho – 4 casos / 76 casos e 03 óbitos
  6. Tenente Portela – 19 casos / 434 casos e 5 óbitos
  7. Três Passos – 148 casos / 1094 casos e 22 óbitos
  8. Coronel Bicaco – 04 casos / 170 casos e 02 óbitos
  9. Seberi – 02 casos 01 óbito / 567 casos e 03 óbitos
  10.  Jaboticaba – 01 casos / 25 casos
  11.  Chapada – 03 casos / 116 casos e 01 óbito
  12.  Sarandi – 51 casos 01 óbitos / 871 casos e 17 óbitos
  13.  Rondinha – 0 casos / 62 casos e 01 óbitos
  14.  Ronda Alta – 14 casos / 188 casos e 04 óbitos
  15. Constantina – 24 casos / 188 casos e 01 óbito
  16.  Trindade do Sul – 60 casos 02 óbitos / 129 casos e 02 óbitos
  17. Rodeio Bonito – 0 casos / 50 casos
  18.  Ametista do Sul – 08 casos / 87 casos
  19.  Planalto – 32 casos / 94 casos e 03 óbitos
  20.  Frederico Westphalen – 67 casos / 935 casos e 11 óbitos

Transmissão comunitária e o rápido contágio dos palmeirenses

Nas múltiplas configurações interconectadas, globalizadas e midiatizadas, buscamos entender como o rápido contágio acontece, seu alastramento e como o vírus continua proliferando. As nossas vidas privadas e públicas se reordenam, pois, a forma contemporânea da pandemia ressignifica espaços e ambientes sociais. O rápido alastramento da pandemia pelo mundo em uma segunda onda visível não acompanha o entendimento social e as pesquisas científicas. Estas interseccionalidades muitas vezes são naturalizadas em compartilhamento de dados estatísticos dos municípios do interior e capitais. A ansiedade volta a prevalecer em um sistema de saúde sem os aportes necessários afetando toda nossa ordem social.

A intenção é de fechamento e reclusão de quem possa fazer, devemos atender uma necessidade coletiva de reparo. Além disso, enquanto médicos honram a confidencialidade e a privacidade de cada contaminado, a transparência tem sido cada vez mais sustentada como uma prática valorizada em órgãos públicos da nossa cidade com os dados lançados publicamente e diariamente para a população. A vida privada e pública é embaraçada à medida que o coronavírus avança e é trazido para o domínio público.

Desde março o Palmeira Informa acompanha a evolução da pandemia na cidade e agora apresento as projeções para vocês até o dia 31 dezembro de 2020. Esta probabilidade apresentada é com o mesmo sistema usado da primeira vez através do Simcovid 2.0. Para Palmeira das Missões, com circulação de 30% da população até 31 de dezembro teremos cerca de 2.600 contaminados.

Para uma circulação de 60% da população teremos cerca de 4.500 casos até 31 de dezembro.

Palmeira Informa – uma iniciativa para a comunicação comunitária

Conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou no 30 de janeiro de 2020, o surto da doença causada pelo novo coronavírus (COVID-19) constituiu uma Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional – o mais alto nível de alerta da Organização, conforme previsto no Regulamento Sanitário Internacional. Em 11 de março de 2020, a COVID-19 foi caracterizada pela OMS como uma pandemia.

Até o momento, segundo a OMS, foram confirmados no mundo mais de 55 milhões casos de COVID-19 ultrapassando 1,3 milhões mortes. O Brasil é um dos países com alta transmissão comunitária da COVID-19 e confirmou quase 6 milhões de casos e mais de 160 mil mortes pela doença até o dia de hoje. No Rio Grande do Sul temos um total de quase 250 mil contaminados e quase 6 mil óbitos.

Em breve mais informações.